Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Professores municipais de Criciúma ocupam prefeitura para exigir concurso público

Ocupação ocorreu nesta quarta (13), mas prefeito não apareceu para receber manifestantes

Escrito por: Déborah Lima • Publicado em: 14/11/2019 - 17:51 • Última modificação: 14/11/2019 - 18:10 Escrito por: Déborah Lima Publicado em: 14/11/2019 - 17:51 Última modificação: 14/11/2019 - 18:10

. Professoras e professores municipais admitidos temporariamente lutam por seus empregos

Com o apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma (Siserp/SC) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), os professoras e professores admitidos em caráter temporário (ACT) realizaram, nesta quarta-feira (13), um grande ato na prefeitura para exigir a realização de concurso púbico e abertura de processo seletivo pelo o município. 

Eles ocuparam o prédio da Administração Municipal e mandaram o recado: "prefeito, cadê você? Estamos aqui pra resolver!", gritaram os manifestantes. O prefeito Clésio Salvaro, no entanto, não apareceu para receber os professores. "Ele não estava no local de trabalho, ou estava no banheiro", ironizaram os servidores temporários. 

Em discurso feito em frente ao gabinete do prefeito, a secretária-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Muncipal (Confetam/CUT) e presidenta do Siserp Criciúma, Jucélia Vargas, explicou os objetivos do movimento. Ela destacou que o Tribunal de Contas e o Ministério Público já vêm há vários meses cobrando sem sucesso que a prefeitura realize o concurso e abra a seleção.

Segundo o Siserp, o número de professores temporários está muito elevado, chegando a quase 50%, percentual bem acima dos 10% que o Plano Municipal de Educação determina até 2024. A entidade entende que somente com concurso público a prefeitura poderá resolver o problema. 

Os trabalhadores se queixam ainda de uma quarentena absurda por prejudicar mais de 700 professores ACTs que ficarão sem emprego. Um abaixo-assinado reivindicando a resolução do problema será entregue ao Ministério Público.

Com informações do Siserp Criciúma

Título: Professores municipais de Criciúma ocupam prefeitura para exigir concurso público, Conteúdo: Com o apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma (Siserp/SC) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), os professoras e professores admitidos em caráter temporário (ACT) realizaram, nesta quarta-feira (13), um grande ato na prefeitura para exigir a realização de concurso púbico e abertura de processo seletivo pelo o município.  Eles ocuparam o prédio da Administração Municipal e mandaram o recado: prefeito, cadê você? Estamos aqui pra resolver!, gritaram os manifestantes. O prefeito Clésio Salvaro, no entanto, não apareceu para receber os professores. Ele não estava no local de trabalho, ou estava no banheiro, ironizaram os servidores temporários.  Em discurso feito em frente ao gabinete do prefeito, a secretária-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Muncipal (Confetam/CUT) e presidenta do Siserp Criciúma, Jucélia Vargas, explicou os objetivos do movimento. Ela destacou que o Tribunal de Contas e o Ministério Público já vêm há vários meses cobrando sem sucesso que a prefeitura realize o concurso e abra a seleção. Segundo o Siserp, o número de professores temporários está muito elevado, chegando a quase 50%, percentual bem acima dos 10% que o Plano Municipal de Educação determina até 2024. A entidade entende que somente com concurso público a prefeitura poderá resolver o problema.  Os trabalhadores se queixam ainda de uma quarentena absurda por prejudicar mais de 700 professores ACTs que ficarão sem emprego. Um abaixo-assinado reivindicando a resolução do problema será entregue ao Ministério Público. Com informações do Siserp Criciúma



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.