Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Fruto da luta: Sindimoita consegue reajuste para motoristas

Trabalhadores comemoram reajuste salarial de 27%, previsto em projeto aprovado pela Câmara

Escrito por: FETAM/SE • Publicado em: 15/04/2019 - 16:21 • Última modificação: 15/04/2019 - 16:34 Escrito por: FETAM/SE Publicado em: 15/04/2019 - 16:21 Última modificação: 15/04/2019 - 16:34

. .

Os motoristas da modalidade D que atuam no município de Moita Bonita (SE) estão comemorando o reajuste salarial de 27%, regulamentado por meio do Projeto de Lei do Executivo Municipal 5/2019, aprovado na última segunda-feira, 08, pela Câmara Municipal de Moita Bonita. A conquista é fruto de muita luta travada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Moita Bonita (Sindimoita), filiado à FETAM Sergipe, em defesa da categoria.

A presidente do Sindicato, Genalva Santana, explica que desde realização do concurso, em 2016, os motoristas nunca tinham recebido reajuste em seus salários. Ela conta que, em 2017, o sindicato começou a realizar ações no município com o objetivo de garantir a melhoria salarial para a categoria.

“Fizemos muitas reuniões com a Procuradoria do Município, e sem mudanças no salário, os motoristas chegaram a paralisar suas atividades em novembro de 2018”, apontou a presidente, explicando que estes profissionais atuam majoritariamente na política de educação.

Para Éder Ferreira, motorista de Moita Bonita, o sindicato foi fundamental para a conquista. “Antes vivíamos de promessas da gestão, mas nada de concreto acontecia. Até que procuramos o Sindimoita, que intermediou junto à gestão municipal para conseguirmos o reajuste. Foi também o sindicato que nos orientou nos momentos mais difíceis, inclusive durante a paralisação realizada por nós, em novembro do ano passado”, explicou Éder, que formalizou sua filiação durante o processo de luta pela melhoria salarial.

A presidente do sindicato avalia que a conquista é do Sindimoita, mas é também uma vitória da Federação dos Servidores Públicos Municipais de Sergipe (FETAM/SE) e da Central Única dos Trabalhadores do Estado (CUT/SE) “que sempre prestaram apoio ao nosso sindicato. Isso nos mostra que a classe trabalhadora tem de estar unida em torno da defesa de nossos direitos”, reforçou Genalva. “Quando o trabalhador está sindicalizado, não está só e se sente protegido”, completa Éder.

Para Itanamara Guedes, presidenta da FETAM, as gestões municipais precisam superar a ideia de que o reajuste salarial é ‘gasto’. “Reajuste salarial é investimento, pois são os servidores públicos municipais que realizam a prestação de serviço direto à população. É por meio deles que a população acessa as políticas públicas municipais. E quando um servidor é valorizado, tende a prestar um serviço mais qualificado para a população”, explica a presidenta da FETAM, entidade que congrega sindicatos de servidores municipais de todo o Estado.

Campanha

A luta do Sindmoita se fortaleceu com a campanha “Qualidade no serviço público: A gente faz nossa parte. Prefeito, faça sua!”, realizada pela Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe (FETAM). Uma das pautas prioritárias da campanha é justamente a valorização dos servidores públicos municipais, com reajuste salarial que permita que o trabalhador tenha ganho real e possa melhorar verdadeiramente sua qualidade de vida.

A campanha, que é integrada à Campanha Nacional Unificada 2019 dos servidores públicos municipais, organizada pela CONFETAM em todo Brasil, inclui ainda o fortalecimento dos Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS), a defesa de concursos públicos, o direito de se aposentar e em defesa da previdência. A ação defende ainda a revogação da Emenda Constitucional 95, que prevê limite de investimento do governo federal em áreas sociais, a defesa do SUS e do SUAS.

Itanamara explica que as bandeiras da campanha vão muito além da pauta salarial e abrangem a defesa da classe trabalhadora, dado o contexto de profundos retrocessos nos direitos trabalhistas e sociais, no campo das políticas públicas e da democracia. Entre as pautas estão a previdência pública e solidária, a Defesa da Justiça Fiscal, para que os mais pobres e a classe média paguem menos e os mais ricos paguem mais impostos; a defesa da educação pública, de qualidade, laica e emancipadora; direito à livre negociação no serviço público e em defesa dos sindicatos; a defesa da Democracia e dos direitos para garantir nossa soberania nacional e enfrentar o desmonte do Estado Democrático de Direito e o cumprimento da Lei de acesso à informação, que garante transparência e amplia a democracia.

Título: Fruto da luta: Sindimoita consegue reajuste para motoristas, Conteúdo: Os motoristas da modalidade D que atuam no município de Moita Bonita (SE) estão comemorando o reajuste salarial de 27%, regulamentado por meio do Projeto de Lei do Executivo Municipal 5/2019, aprovado na última segunda-feira, 08, pela Câmara Municipal de Moita Bonita. A conquista é fruto de muita luta travada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Moita Bonita (Sindimoita), filiado à FETAM Sergipe, em defesa da categoria. A presidente do Sindicato, Genalva Santana, explica que desde realização do concurso, em 2016, os motoristas nunca tinham recebido reajuste em seus salários. Ela conta que, em 2017, o sindicato começou a realizar ações no município com o objetivo de garantir a melhoria salarial para a categoria. “Fizemos muitas reuniões com a Procuradoria do Município, e sem mudanças no salário, os motoristas chegaram a paralisar suas atividades em novembro de 2018”, apontou a presidente, explicando que estes profissionais atuam majoritariamente na política de educação. Para Éder Ferreira, motorista de Moita Bonita, o sindicato foi fundamental para a conquista. “Antes vivíamos de promessas da gestão, mas nada de concreto acontecia. Até que procuramos o Sindimoita, que intermediou junto à gestão municipal para conseguirmos o reajuste. Foi também o sindicato que nos orientou nos momentos mais difíceis, inclusive durante a paralisação realizada por nós, em novembro do ano passado”, explicou Éder, que formalizou sua filiação durante o processo de luta pela melhoria salarial. A presidente do sindicato avalia que a conquista é do Sindimoita, mas é também uma vitória da Federação dos Servidores Públicos Municipais de Sergipe (FETAM/SE) e da Central Única dos Trabalhadores do Estado (CUT/SE) “que sempre prestaram apoio ao nosso sindicato. Isso nos mostra que a classe trabalhadora tem de estar unida em torno da defesa de nossos direitos”, reforçou Genalva. “Quando o trabalhador está sindicalizado, não está só e se sente protegido”, completa Éder. Para Itanamara Guedes, presidenta da FETAM, as gestões municipais precisam superar a ideia de que o reajuste salarial é ‘gasto’. “Reajuste salarial é investimento, pois são os servidores públicos municipais que realizam a prestação de serviço direto à população. É por meio deles que a população acessa as políticas públicas municipais. E quando um servidor é valorizado, tende a prestar um serviço mais qualificado para a população”, explica a presidenta da FETAM, entidade que congrega sindicatos de servidores municipais de todo o Estado. Campanha A luta do Sindmoita se fortaleceu com a campanha “Qualidade no serviço público: A gente faz nossa parte. Prefeito, faça sua!”, realizada pela Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe (FETAM). Uma das pautas prioritárias da campanha é justamente a valorização dos servidores públicos municipais, com reajuste salarial que permita que o trabalhador tenha ganho real e possa melhorar verdadeiramente sua qualidade de vida. A campanha, que é integrada à Campanha Nacional Unificada 2019 dos servidores públicos municipais, organizada pela CONFETAM em todo Brasil, inclui ainda o fortalecimento dos Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS), a defesa de concursos públicos, o direito de se aposentar e em defesa da previdência. A ação defende ainda a revogação da Emenda Constitucional 95, que prevê limite de investimento do governo federal em áreas sociais, a defesa do SUS e do SUAS. Itanamara explica que as bandeiras da campanha vão muito além da pauta salarial e abrangem a defesa da classe trabalhadora, dado o contexto de profundos retrocessos nos direitos trabalhistas e sociais, no campo das políticas públicas e da democracia. Entre as pautas estão a previdência pública e solidária, a Defesa da Justiça Fiscal, para que os mais pobres e a classe média paguem menos e os mais ricos paguem mais impostos; a defesa da educação pública, de qualidade, laica e emancipadora; direito à livre negociação no serviço público e em defesa dos sindicatos; a defesa da Democracia e dos direitos para garantir nossa soberania nacional e enfrentar o desmonte do Estado Democrático de Direito e o cumprimento da Lei de acesso à informação, que garante transparência e amplia a democracia.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.