Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

20 mil servidores municipais de São Paulo decidem: a greve continua!

Decisão foi tomada em ato/assembleia realizado na tarde desta quarta (20) em frente à Câmara. Mesmo com a baixa temperatura, milhares de servidores em greve se reuniram para lutar contra o Sampaprev 2

Escrito por: Sindsep/SP • Publicado em: 20/10/2021 - 17:53 • Última modificação: 20/10/2021 - 18:17 Escrito por: Sindsep/SP Publicado em: 20/10/2021 - 17:53 Última modificação: 20/10/2021 - 18:17

SINDSEP/SP Novo ato/assembleia está marcado para quarta-feira (27), às 14 horas, em frente à Câmara

Mesmo com a baixa temperatura, mais de 20 mil servidores públicos municipais em greve se reuniram em mais um ato/assembleia em frente à Câmara de São Paulo, na tarde desta quarta-feira (20), contra o Sampaprev 2 (PLO 07/2021), que definiu pela continuidade do movimento grevista.

Foi aprovado pela grande maioria dos presentes a proposta conjunta das entidades pela continuidade da greve, com novo ato/assembleia na próxima quarta-feira (27), às 14 horas, em frente à Câmara; Participação no ato conjunto do funcionalismo das três esferas (municipais, estaduais e federais), na quinta-feira (28), Dia do Servidor Público; Visita nas regiões dos gabinetes dos vereadores para fazer pressão para reverter votos.

Servidores também aprovaram a proposta de caminhada até a avenida Paulista, para o encerramento da atividade, a qual foi aprovada pela grande maioria.

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep/SP), Sérgio Antiqueira, falou sobre a adesão dos servidores a greve, que estão procurando o sindicato para saber como parar. Lembrando que na saúde não irá faltar vacinas, mas o que pode ficar para depois sem prejuízos irá parar. “Estamos conversando com todas as unidades. Isso que é importante a construção que estamos fazendo para derrotar esse projeto que rouba dinheiro do servidor e do trabalhador”.

Representantes das entidades sindicais durante a atividade também realizaram suas falas sobre os prejuízos que o PLO 07 (Sampaprev 2) trará para os servidores, como o aumento da contribuição para 14%, o aumento no tempo para se aposentar para homens e mulheres, bem como a segregação de massa.

João Gabriel Buonavita, vice-presidente do Sindsep/SP e secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), aproveitou seu momento de fala para lembrar dos servidores que estiveram na luta, na greve dos 100 mil e perderam suas vidas para a Covid-19. “Quero lembrar de cada um e cada uma que perdemos na pandemia e que marcharam com a gente em 2018. Vamos gritar muito retira já e não fazer um minuto de silêncio. Para lembrar e homenagear aqueles que marcharam com a gente e perderam a vida, precisamos mobilizar, precisamos lutar”.

Organização da greve

O Sindsep está orientando reunião nas unidades para organizar a greve e ampliar a pressão sobre os vereadores. Cartazes e adesivos já estão disponíveis com diretores do Sindicato.

Última hora: projetos de lei 651 e 652

Foram aprovados na Comissão de Administração da Câmara Municipal outros dois projetos do pacotão de maldades do prefeito Ricardo Nunes. O PL 651/21, que reestrutura cargos comissionados aumentando salário dos cargos de indicação política da Prefeitura.

O PL 652/21, que propõe uma série de modificações nas gratificações, reajuste abaixo da inflação no Vale Alimentação e no Vale Refeição, criando faixas de pagamento, também ataca as férias dos servidores e reduz as abonadas de 10 (dez) por ano para 6 (seis) com exigência de compensação. Ambos os projetos agora vão para o plenário.

Reestruturação no Nível Básico e Médio avança sem debate em audiências públicas 

Também em tramitação o PL 650/21, que trata da reestruturação do nível básico e médio, pode passar ainda hoje pela segunda votação na Câmara, sem debate em audiência pública para discutirmos emendas para a valorização do funcionalismo.

Título: 20 mil servidores municipais de São Paulo decidem: a greve continua!, Conteúdo: Mesmo com a baixa temperatura, mais de 20 mil servidores públicos municipais em greve se reuniram em mais um ato/assembleia em frente à Câmara de São Paulo, na tarde desta quarta-feira (20), contra o Sampaprev 2 (PLO 07/2021), que definiu pela continuidade do movimento grevista. Foi aprovado pela grande maioria dos presentes a proposta conjunta das entidades pela continuidade da greve, com novo ato/assembleia na próxima quarta-feira (27), às 14 horas, em frente à Câmara; Participação no ato conjunto do funcionalismo das três esferas (municipais, estaduais e federais), na quinta-feira (28), Dia do Servidor Público; Visita nas regiões dos gabinetes dos vereadores para fazer pressão para reverter votos. Servidores também aprovaram a proposta de caminhada até a avenida Paulista, para o encerramento da atividade, a qual foi aprovada pela grande maioria. O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep/SP), Sérgio Antiqueira, falou sobre a adesão dos servidores a greve, que estão procurando o sindicato para saber como parar. Lembrando que na saúde não irá faltar vacinas, mas o que pode ficar para depois sem prejuízos irá parar. “Estamos conversando com todas as unidades. Isso que é importante a construção que estamos fazendo para derrotar esse projeto que rouba dinheiro do servidor e do trabalhador”. Representantes das entidades sindicais durante a atividade também realizaram suas falas sobre os prejuízos que o PLO 07 (Sampaprev 2) trará para os servidores, como o aumento da contribuição para 14%, o aumento no tempo para se aposentar para homens e mulheres, bem como a segregação de massa. João Gabriel Buonavita, vice-presidente do Sindsep/SP e secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), aproveitou seu momento de fala para lembrar dos servidores que estiveram na luta, na greve dos 100 mil e perderam suas vidas para a Covid-19. “Quero lembrar de cada um e cada uma que perdemos na pandemia e que marcharam com a gente em 2018. Vamos gritar muito retira já e não fazer um minuto de silêncio. Para lembrar e homenagear aqueles que marcharam com a gente e perderam a vida, precisamos mobilizar, precisamos lutar”. Organização da greve O Sindsep está orientando reunião nas unidades para organizar a greve e ampliar a pressão sobre os vereadores. Cartazes e adesivos já estão disponíveis com diretores do Sindicato. Última hora: projetos de lei 651 e 652 Foram aprovados na Comissão de Administração da Câmara Municipal outros dois projetos do pacotão de maldades do prefeito Ricardo Nunes. O PL 651/21, que reestrutura cargos comissionados aumentando salário dos cargos de indicação política da Prefeitura. O PL 652/21, que propõe uma série de modificações nas gratificações, reajuste abaixo da inflação no Vale Alimentação e no Vale Refeição, criando faixas de pagamento, também ataca as férias dos servidores e reduz as abonadas de 10 (dez) por ano para 6 (seis) com exigência de compensação. Ambos os projetos agora vão para o plenário. Reestruturação no Nível Básico e Médio avança sem debate em audiências públicas  Também em tramitação o PL 650/21, que trata da reestruturação do nível básico e médio, pode passar ainda hoje pela segunda votação na Câmara, sem debate em audiência pública para discutirmos emendas para a valorização do funcionalismo.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.