Confetam repudia atitude de professor que vestiu traje da Ku Klux Klan em escola de Santo André

21/12/2021 - 15:44

Secretaria de Educação do Estado de São Paulo afastou o profissional até o término da apuração. O professor apresentou um pedido formal de desculpas

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) repudiou com veemência, nesta terça-feira (21), a atitude de um professor de História filmado em um desfile à fantasia, realizado no dia 8 de dezembro na Escola Estadual Amaral Wagner, em Santo André (SP), com roupa semelhante à usada pelos integrantes da Ku Klux Klan, movimento racista, antissemita e anticomunista fundado no século 19 no Sul dos Estados Unidos.

“Foi algo que me impactou muito a tranquilidade com que os fascistas desfilam dentro de uma escola pública, nos espaços públicos. Eles se expõem e ficam impunes”, protestou a secretária de Combate ao Racismo da Confetam/CUT, Vilani Oliveira. 

Apologia à “supremacia branca”

A Confetam/CUT condenou qualquer tipo de apologia à “supremacia branca” e enfatizou a necessidade de as entidades ligadas à Educação se unirem para exigir das autoridades constituídas a apuração rigorosa do caso e a punição dos envolvidos no sentido de evitar que as escolas se transformem em palco para crimes de racismo e outros espetáculos de horror como este.

Arrependido, o profissional reconheceu que “sua ação foi infeliz” e apresentou um pedido formal de desculpas à direção da escola. Em reunião do Conselho Escolar, realizada no último sábado (18), ele voltou a se retratar. O professor foi afastado pela Secretaria de Educação até o término da apuração do caso.

Veja o vídeo: